Wind Forum

Versão completa: INQUÉRITO E ANÁLISE DE INCIDENTES E ACIDENTES VOO LIVRE
Está de momento a ver uma versão reduzida do nosso conteúdo. Ver versão completa com o formato adequado.
Hey,

Este tópico será útil para partilhar experiências e aprender com as mesmas, sempre com o consentimento dos intervientes.


"Reportar incidentes é prevenir acidentes. Quando alguma coisa de anormal aconteceu e se conseguiu solucionar o problema, a experiência deve ser partilhada."


Como já referi, da classe dos pilotos experientes, sou dos menos experientes, não deixando contudo, de dar a minha palavra se isso puder contribuir para minimizar os riscos e acidentes..

Bora lá pessoal, peço-vos com humildade, também o vosso contributo! Sam's, Bitoke's, Herculano's, Silvia's, Marafado's, e restantes experts..
Com o consentimento do M Roque, segue o video..

{sérgio parreira não estou a conseguir postar o video. e só coloquei o link isolado. no pre-visualizar fica ok, quando tento enviar diz: O conteudo da mensagem foi deixado em branco}


http://parapente-arrabida.blogspot.com/2...ida-4.html



Em relação ao..tropeção acho que apesar de já não dar para ver bem, a partir duma certa altura a asa perde pressão e o roque apoia-se nela inclinando demasiado o tronco para a frente perdendo o centro de gravidade e logo de seguida trava...tardiamente.

Aconteceu o inevitável, no entanto temos que realçar pontos fortes: utilizava capacete integral, e óculos de sol com aro em massa.


Há a sensação no ar que existe a tentativa de omitir a informação de acidentes, que tudo fica em surdina para que a publicidade não se transforme em má publicidade, para que os abutres dos dramas não nos utilizem como noticia.
Não acho que exista essa tentativa!

Quem deve relatar um acidente ocorrido? Quem deve falar sobre um acidente?

Já me confrontei várias vezes com estas questões, será que tenho autoridade de relatar e descrever um acidente? Pela minha pouca experiência a norma tem sido esperar pelo relato do piloto acidentado, e sobre esse relato ai sim, abrir uma troca de ideias, foi o que aconteceu com o acidente do M. Roque, atitude de louvar. Esta será a melhor prática, relato do piloto, discussão e lições apreendidas.

O que acontece quando o piloto não relata o acidente? A informação circula em circuito fechado, existe discussão
Apoiado!

Por falar nisso, que não tem nada a ver...quando é que combinamos um jantar no teu estabelecimento? :assobio:
Bom
Tenho lido atentamente todos os post`s
bom, no meu caso, a coisa já tá a ser falada aqui: http://parapente-arrabida.blogspot.com/2...ida-4.html

o vídeo do Ventura mostra bem o que aconteceu:
<a href="http://vimeo.com/15931089">descolagem de alpino na arrábida - 4 pontos no sobrolho!</a> from <a href="http://vimeo.com/user3379108">Miguel Roque</a> on <a href="http://vimeo.com">Vimeo</a>.</p>

a minha analise tb lá está mas trancrevo par aqui:

"Acho que me precipitei, estava de "peito cheio" com o estagio em Algodonales e cheio de vontade de sair pra ir tentar um espiralzita por cima da praia.
Este foi o principal erro: excesso de confiança.
O inflado parece-me bom, com uma correccao ligeira da tragectoria e muita energia no arranque. há um pequeno "salto" sobre uma moita em que coloco manobrador e tiro oss pés do chao, mas ela nao pegaa em mim e entao foi, deixar voar e mais energia. alivio os manobraadores e dou um impulso ainda mais vigoroso para a frente. resultado, sem travao ele veio muito a frente, fechou e a partir daí foi mesmo de boca...abençoado capacete integral!

parece que no "salto" da moita, quando volto ao chao ha um tropecao, ou desiquilibrio que ainda ajuda mais.

Saber esperar é importante. travar o nivel de confiança tambem.
a tecnica treina-se.
Olá Pessoal! Smile

Como já nem sei como é voar, nem de cor é a minha asa.... posso falar dum "incidente" que não passou a acidente por muita sorte minha, na estreia da minha asa em Minde, tinhamos acabado de vir da Serra da Estrela, montei o material, confirmei tudo ... e parecia tudo a correr tão bem, quando começo a subir bem... até à altura que vi que o meu mosquetão estava aberto e a banda parecia que queria sair... a partir daí foi orelhas até ao chão! Pus o video todo na internet para ficar para minha recordação! Desde esse dia confirmo 2 ou 3 vezes se os mosquetões estão bem fechados, mania de tirar as bandas do arnês enquanto dobro a asa.

[quote='Gambá link' pid='152253' dateline='1287487881']
Voltando ao acidente em si, em resultado da aterragem/queda sofri uma fractura numa vértebra
Eu até ao momento ainda só dei um tralho digno desse nome que foi num cruzamento de asas em voo de praia. Caí a pique de uns tantos metros mas tive sorte. Houve outro companheiro a quem recentemente aconteceu exactamente a mesma coisa (num cruzamento com a minha asa, por acaso) que não teve a mesma sorte que eu. Trata-se de um incidente muito susceptível de acontecer ou de ser provocado por quem se inicia no parapente (quando ainda estamos concentrados noutras coisas que não a distância ao parceiro do lado) e por isso aqui relembro uma recomendação que certamente lhes foi feita pelos respectivos instrutores : Em voo de falésia, quem voa a barlavento deve ter o cuidado de se afastar o mais possível das asas que voem a sotavento da sua por forma a que os rotores que inevitavelmente provoque ao passar se reflictam o menos possivel nas asas de quem voa a juzante. Estes, por sua vez, devem redobrar a atenção nos instantes que se seguem ao cruzamento por forma a controlar o efeito dos rotores na sua asa, não permitindo que ela se desconfigure, que foi o que me aconteceu. Este cuidado deve ser tanto maior quanto mais forte for a intensidade do vento (e consequentemente da turbulência gerada pelas asas a montante) e/ou consoante maiores forem as dimensões das asas a barlavento (bi-lugares, sobretudo).
Acho que falei bem?


Quem fafafafala assim nananananão é gagagagagagagago!

Que estabelecimento é esse onde o Airbusio quer ir comer? É a pastelaria "Paquiderme Albino" ?
Não é pastel não senhor...é bife mesmo!
Mais uma vez salientando a importância do capacete integral, vejam só o que eventualmente teria acontecido ao queixo/face deste parapentista se não usasse capacete integral.